Tube e Solid State

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Tube e Solid State

Mensagem por Rico em Sex Abr 07, 2017 10:35 pm

joabi escreveu:
Aquele maravilhoso som de válvulas que muita gente idealiza, vem, na verdade, de bons transformadores, uma coisa que os baixistas geralmente não dão muita atenção.




Eu diria que tudo faz diferença. Um bom projeto de pré, bons trafos e boas válvulas, resultam num bom amp. Já um amp com pré sem graça e um trafo mal dimensionado, mesmo que equipado com o Holy Grail das válvulas, as originais Tung Sol, vai soar mal.

Um excelente amp com válvulas ruins, também.

Equilíbrio. O conjunto faz a diferença.
avatar
Rico
Membro

Mensagens : 2166
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tube e Solid State

Mensagem por fheliojr em Dom Abr 09, 2017 4:33 pm

joabi escreveu:
Aquele maravilhoso som de válvulas que muita gente idealiza, vem, na verdade, de bons transformadores, uma coisa que os baixistas geralmente não dão muita atenção.

Interessante esta colocação, joabi. Vc poderia discorrer mais sobre isso?
Valeu!
avatar
fheliojr
Membro

Mensagens : 8866
Localização : Fortaleza-CE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tube e Solid State

Mensagem por Mauricio Luiz Bertola em Dom Abr 09, 2017 5:00 pm

A disposição física dos componentes, principalmente num amplificador valvulado, tem uma importância muito grande.
Existe uma "coisinha" nas leis do trafo de áudio, chamada de "capacitância distribuída". O que é isso? É a capacitância entre os enrolamentos e destes para o núcleo. Capacitância é coisa importante em valvulados, devido a alta impedância, definindo freqüências de passagem, corte e timbres.
Assim a coisa funciona da seguinte maneira: se vc construir o trafo simplesmente enrolando o número de espiras na seqüência, um sobre o outro, sua capacitância distribuída será maior para um enrolamento do que para o outro, fazendo que em um trafo push-pull a resposta de freqüência de um ramal seja diferente do outro, causando cancelamentos de freqüência e por consequência timbre pobre. A resistência ôhmica dos enrolamentos também fica diferente, causando diferenças de corrente entre as powers em DC, não em AC, o que faz necessário ter um ajuste de bias ligeiramente diferente de uma em relação a outra. Por isso alguns construtores fazem amplis com ajuste de bias independente de cada power.
Ademais, trafos para amplificação Hi-Fi, para guitarra e para baixo tem que ser diferentes, enrrolados de forma diferente e com "engenharias" diferentes.
avatar
Mauricio Luiz Bertola
FCBR-CT
FCBR-CT

Mensagens : 11730
Localização : Niterói, RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tube e Solid State

Mensagem por Rico em Dom Abr 09, 2017 5:10 pm

Mauricio Luiz Bertola escreveu:A disposição física dos componentes, principalmente num amplificador valvulado, tem uma importância muito grande.
Existe uma "coisinha" nas leis do trafo de áudio, chamada de "capacitância distribuída". O que é isso? É a capacitância entre os enrolamentos e destes para o núcleo. Capacitância é coisa importante em valvulados, devido a alta impedância, definindo freqüências de passagem, corte e timbres.
Assim a coisa funciona da seguinte maneira: se vc construir o trafo simplesmente enrolando o número de espiras na seqüência, um sobre o outro, sua capacitância distribuída será maior para um enrolamento do que para o outro, fazendo que em um trafo push-pull a resposta de freqüência de um ramal seja diferente do outro, causando cancelamentos de freqüência e por consequência timbre pobre. A resistência ôhmica dos enrolamentos também fica diferente, causando diferenças de corrente entre as powers em DC, não em AC, o que faz necessário ter um ajuste de bias ligeiramente diferente de uma em relação a outra. Por isso alguns construtores fazem amplis com ajuste de bias independente de cada power.
Ademais, trafos para amplificação Hi-Fi, para guitarra e para baixo tem que ser diferentes, enrrolados de forma diferente e com "engenharias" diferentes.

Eu ia dizer exatamente isso... Se eu tivesse a mínima idéia do que o Professor está falando, rsrsrs affraid
avatar
Rico
Membro

Mensagens : 2166
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tube e Solid State

Mensagem por Rico em Dom Abr 09, 2017 5:12 pm

Eu gostaria que todos os baixistas desse fórum pudessem experimentar um all tube decente, até pra poder detestar, se fosse o caso.

avatar
Rico
Membro

Mensagens : 2166
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tube e Solid State

Mensagem por Mauricio Luiz Bertola em Dom Abr 09, 2017 5:20 pm

^ Rico, usei uma linguagem excessivamente técnica, desculpe.
O que quis dizer é que a sonoridade de um amp valvulado, sua resposta de frequências, depende da forma como os trafos são construídos. Amps de baixo, precisam de transformadores de saída construídos de forma distinta dos de guitarra. Embora se possa tocar baixo num valvulado de guitarra, a resposta não será adequada, ou a distorção, excessiva.
Lembra-se de como o Lemmy ligava seu baixo em cabeçotes de guitarra? Pois é. Ele fazia isso por que a concepção sonora dele era aquela, muito "peculiar", e, que inclusive tinha um preço: Era comum ele queimar amps no palco.
Mas ele era a exceção, não a regra...
Um AMPEG SVT tem um conjunto de trafos enrolados de forma distinta de um amp comum de guitarra.
Isso acontecia com o Super-Thundersound da Giannini, específico para baixo. O power dele era comum com 4X6L6 usado no Tremendão, porém o trafo de saída era maior que o de força, com primário com o dobro da indutância em relação ao Tremendão comum. O núcleo era enorme. O grave, mais ainda....
avatar
Mauricio Luiz Bertola
FCBR-CT
FCBR-CT

Mensagens : 11730
Localização : Niterói, RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tube e Solid State

Mensagem por fheliojr em Dom Abr 09, 2017 5:22 pm

Mauricio Luiz Bertola escreveu:A disposição física dos componentes, principalmente num amplificador valvulado, tem uma importância muito grande.
Existe uma "coisinha" nas leis do trafo de áudio, chamada de "capacitância distribuída". O que é isso? É a capacitância entre os enrolamentos e destes para o núcleo. Capacitância é coisa importante em valvulados, devido a alta impedância, definindo freqüências de passagem, corte e timbres.
Assim a coisa funciona da seguinte maneira: se vc construir o trafo simplesmente enrolando o número de espiras na seqüência, um sobre o outro, sua capacitância distribuída será maior para um enrolamento do que para o outro, fazendo que em um trafo push-pull a resposta de freqüência de um ramal seja diferente do outro, causando cancelamentos de freqüência e por consequência timbre pobre. A resistência ôhmica dos enrolamentos também fica diferente, causando diferenças de corrente entre as powers em DC, não em AC, o que faz necessário ter um ajuste de bias ligeiramente diferente de uma em relação a outra. Por isso alguns construtores fazem amplis com ajuste de bias independente de cada power.
Ademais, trafos para amplificação Hi-Fi, para guitarra e para baixo tem que ser diferentes, enrrolados de forma diferente e com "engenharias" diferentes.

Muito obrigado, Bertola!!

claps claps Colegas Colegas
avatar
fheliojr
Membro

Mensagens : 8866
Localização : Fortaleza-CE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tube e Solid State

Mensagem por Mauricio Luiz Bertola em Dom Abr 09, 2017 5:32 pm

fheliojr escreveu:
Mauricio Luiz Bertola escreveu:A disposição física dos componentes, principalmente num amplificador valvulado, tem uma importância muito grande.
Existe uma "coisinha" nas leis do trafo de áudio, chamada de "capacitância distribuída". O que é isso? É a capacitância entre os enrolamentos e destes para o núcleo. Capacitância é coisa importante em valvulados, devido a alta impedância, definindo freqüências de passagem, corte e timbres.
Assim a coisa funciona da seguinte maneira: se vc construir o trafo simplesmente enrolando o número de espiras na seqüência, um sobre o outro, sua capacitância distribuída será maior para um enrolamento do que para o outro, fazendo que em um trafo push-pull a resposta de freqüência de um ramal seja diferente do outro, causando cancelamentos de freqüência e por consequência timbre pobre. A resistência ôhmica dos enrolamentos também fica diferente, causando diferenças de corrente entre as powers em DC, não em AC, o que faz necessário ter um ajuste de bias ligeiramente diferente de uma em relação a outra. Por isso alguns construtores fazem amplis com ajuste de bias independente de cada power.
Ademais, trafos para amplificação Hi-Fi, para guitarra e para baixo tem que ser diferentes, enrrolados de forma diferente e com "engenharias" diferentes.

Muito obrigado, Bertola!!

claps claps Colegas Colegas

Não me agradeça fheliojr. Grande parte do que está escrito acima eu recuperei de um fórum técnico sobre o assunto.
Eu apenas tenho uma idéia de como a coisa funciona, mas não sou nenhum expert no tema...
avatar
Mauricio Luiz Bertola
FCBR-CT
FCBR-CT

Mensagens : 11730
Localização : Niterói, RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tube e Solid State

Mensagem por Rico em Dom Abr 09, 2017 7:19 pm

^Que é isso Professor... Todos aprendemos muito com suas respostas sobre os mais variados assuntos nesse fórum.

Obrigado.
avatar
Rico
Membro

Mensagens : 2166
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tube e Solid State

Mensagem por fheliojr em Dom Abr 09, 2017 8:15 pm

Rico escreveu:^Que é isso Professor... Todos aprendemos muito com suas respostas sobre os mais variados assuntos nesse fórum.

Obrigado.

[2]
avatar
fheliojr
Membro

Mensagens : 8866
Localização : Fortaleza-CE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tube e Solid State

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum